Renato Maurício Prado – O Globo – Esportes – Terça-feira, 12.8.2014

Foi simplesmente assustadora a qualidade dos jogos do Brasileiro nesse último final de semana. Nem cruzeiro e Fluminense escaparam da mediocridade geral. O número de passes errados de algumas partidas andou em torno de 100! E naquelas que foram disputadas nos estádios da Copa já não existe mais nem sequer a desculpa do gramado irregular. O que há é ruindade mesmo.

Frases pinçadas das entrevistas dos técnicos após a rodada, ajudam a entender o drama. Disse, por exemplo, Vanderlei Luxemburgo depois da magra vitória do Flamengo sobre o Sport, no Maracanã, num jogo tecnicamente horroroso.

– Por enquanto, vamos continuar jogando feio, mesmo. À medida que formos saindo desse sufoco, o futebol bonito aparecerá – prometeu.

Já Luiz Felipe Scolari explicou a falha de um de seus jogadores num dos gols sofridos no Gre-Nal com sinceridade reveladora:

– Ele é jovem e inexperiente, por isso, não fez a falta! – justificou.

Dois dos nossos mais afamados treinadores, portanto, continuam a achar que “ralar a bunda no chão” (expressão recorrente de Luxemburgo, quando exige raça) e parar o jogo com faltas (estratégia típica de Scolari) são a solução para nossos problemas. Não foi à toa que tomamos de 7 a 1…

Canela x bola
A indigência técnica de nossos jogos evidencia que o problema maior vem da base, de onde nossos jovens saem, atualmente, com defeitos assustadores em fundamentos básicos, como o passe e o chute a gol. Enquanto não entendermos que a garotada precisa muito mais de treinos técnicos do que táticos, não se irá a lugar algum. Mas vaid izer isso a algum treinador de escolinha, infantil, júnior, etc. O importante pra eles é se manter no emprego. E, pra isso, precisam ganhar jogos e campeonatos. E tome de garoto taludo e de cintura dura deixando baixinhos talentosos no banco e incentivos de “pega, pega”, para que os guris se atirem nas canelas dos adversários com mais apetite do que vão na bola.

O crédulo
O secretário nacional de futebol, meu amigo Toninho Nascimento, é um ótimo sujeito, mas acredita em Papai Noel. Crê, piamente, que a partir da aprovação da lei que refinanciará as dívidas do clube com a União não somente os clubes serão punidos com perda de pontos e até com rebaixamento, em caso de novos débitos, como os dirigentes passarão a responder, com os bens pessoais, por seus atos inconsequentes.

Acorda, parceiro! Para entrar em vigor, a lei precisa ser aprovada na Câmara e no Senado. Onde, com certeza, sofrerá inúmeras emendas, a maioria para amenizar as punições. Principalmente, aos cartolas, que, pode apostar, continuarão impunes.

Palmeiras x Flu
Lembra do argentino Martinuccio, que andou por Fluminense, Cruzeiro e agora está no Coritiba (emprestado pelo Flu)? Pois o Palmeiras ainda não engoliu a contratação dele pelo clube carioca, depois de ter assinado um pré-contrato com o paulista, em 2011. A briga começou na Fifa (que se disse incompetente para julgar a questão) e segue na Justiça brasileira, onde, se derrotado, o tricolor pode ser obrigado a indenizar o verdão em R$ 6 milhões (total do pré-contrato assinado pelo jogador).

Super Zé
De cabeça inchada com o futebol brasileiro e com o seu time? Assista aos jogos da nossa seleção feminina de vôlei. Bicampeãs olímpicas, as meninas dirigidas por José Roberto Guimarães conseguem o prodígio de jogar cada vez mais! Um colírio para os olhos dos amantes do esporte.

Anúncios